Projeto de Incêndio

Um imóvel, principalmente um edifício, precisa ter um projeto de combate a incêndio que é criado por um projetista responsável e habilitado para função. Pode também ser chamado como Projeto Preventivo contra Incêndio o que faz grande sentido uma vez que, o intuito é se precaver quanto a possíveis casos em que possa ocorrer um acidente.

Conteúdo do projeto de combate a incêndio

– Ao elaborar o projeto de combate a incêndio ele deverá estar de acordo com a NSCI (Normas de Segurança contra Incêndio) que orienta a localização precisa dos componentes de segurança, as características técnicas dos equipamentos, a demanda de água e as indicações referentes à execução das instalações, assim como também:
– Preventivo por Extintores e Hidráulico (este se for necessário);
– Instalações de gás combustível;
– Saídas e iluminação de emergência;
– Proteção contra descargas atmosféricas;
– Sistema de alarme e detecção de incêndio,
– Sinalização de abandono de local.
– Escada pressurizada (se for necessário)
– Splinker (se for necessário)

Algumas considerações gerais sobre o projeto de combate a incêndio

Adotar as normas e suas disposições orientadas pelo Corpo de Bombeiros;

Previsão de proteção por unidades extintoras adequadas (quando houver na edificação áreas isoladas que possam ocorrer incêndios);

Consultar o autor do projeto sobre as possíveis aberturas previstas ou mesmo peças embutidas na estrutura da edificação.

O que não se pode deixar de colocar no projeto de combate a incêndio?

Além de todas as especificações de equipamentos e suas localizações e importante acrescentar a chamada proteção passiva (que é a contenção da propagação horizontal e vertical), a ativa (que são os equipamentos de combate a incêndio), sistemas de alarme, saídas de emergência com iluminação de segurança adequada.

Ainda não se deve esquecer que os materiais combustíveis que ficam localizados no interior do edifício devem ser limitados, ou seja, não devem ser acima do necessário. Em pequenos edifícios as soluções para a disponibilização de materiais deve ser otimizada e, para isso, o melhor a se fazer é consultar o projetista para auxiliar.

Quais são os órgãos que o projeto deve atender?

O projeto de combate a incêndio deverá se guiar de acordo com as normas estabelecidas pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), a qual estabelece os dimensionamento e outros assuntos. E, a aprovação do projeto caberá à avaliação realizada pelo Corpo de Bombeiros.

Até meados dos anos 80 as exigências eram limitadas aos extintores, sinalizações e hidrantes. Hoje o Corpo de Bombeiros avalia esses e outros detalhes. Quando o seu projeto é aprovado você consegue dar entrada no Habite-se e consegue o AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros).

Considerações Finais

É importante ressaltar que um edifício seguro apresenta uma baixa probabilidade de início de incêndio e, automaticamente, uma alta possibilidade de fuga dos ocupantes, ou seja, estabelece-se o chamado fator primordial onde se deve preocupar com a preservação da vida e, em seguida, à da propriedade.

Desta forma, ao se estabelecer o projeto de combate a incêndio estará regulamentando a edificação conforme as regras estabelecidas e garantindo as vistorias emitidas pelo Corpo de Bombeiros.

Caso você não conheça um bom profissional que possa auxiliar na elaboração do projeto de combate a incêndio poderá pedir orientações e até mesmo indicações junto ao Corpo de Bombeiros que em muitos estados prestam este tipo de ajuda.

Ao contrário de muitas pessoas que tem receio até de perguntar, não há porque não se informar com os Bombeiros sobre todas as suas dúvidas. O que não se deve é deixar de elaborar esse importante projeto e resguardar o seu edifício de todo e qualquer problema.

Fale Conosco

Abrir chat
Precisando de ajuda ?